segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Por mais um dia.

Em tempos de frio galopante da alma, um conforto morno e adocicado vem em sonhos livres de controle e analistas.... Não para resolver, nem para desatar tantos nós de nós, mas enfim, pra aquecer. Voltar a ritmar o barulho do corpo, o som que se esquece de ouvir.
Em dias que antes seriam doloridos, um suspiro ao acordar é bom e, por hoje e não sei até quando, basta.