segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

AAAHHHHHHHHH!!!!!

!!
Estou farta do academicismo. Estou farta de repetir e aceitar palavras alheias que de nada me ajudam na construção de um sorriso. Estou farta ainda mais das palavras secas, se rastejando em cima do papel, tecendo teorias mirabolantes, que de nada me servem. As mesma velhas pessoas velhas se repetindo, repetindo o que já disseram, repetindo suas briguinhas mediocres por teorias que nem partiram delas mesmas, que nem sequer faziam parte de suas vidas e agora as direcionam a ponto de não conseguirem ver luz fora disso. Leram tanto Bakhtin, abraçaram-se tanto a Foucault que dormiram sobre suas palavras, sem ao menos carnavalizar o (dis) curso das suas vidas. Castraram-me uma vida inteira, furtaram-me meus diamantes mais preciosos. E como fui patética em acreditar em toda a pavonice envolvida nisso tudo. "não moça, você não tem autoridade pra afirmar nada, apoie-se em alguém para isso" Pois afirmo: estou cheia de toda essa baboseira sem razão (ou seria com razão demais?). Estou cheia de estudos infindáveis sobre uma única frase. Eles escrevem poemas pensando no que se pensará sobre, não sentem nada,  apenas buscam efeitos, buscam causas, buscam causar... Explicações pra tudo meu deus.. Estou cheia das conversinhas cult sobre o novo livro de fulano de tal que ninguém leu ainda mas que já sabe todo o resumo, estou passada de tanto se falar de arte, de tanto se falar de linguagem e absolutamente nada se fazer além de falar e repetir e errar os meus erros eternamente... De que me serve a Linguagem e Arte se não as sinto? Me poupem meus queridos... Me deixem em paz com meus papéis. E não me obrigarão nunca mais a ler um livro idiota de teoria fantasiosa sobre a educação no país das maravilhas. Não sem uma critica sanguinária. Nunca mais.

 Libertas quae sera tamen




Imagem: Sylvia Ji

Um comentário:

s. disse...

Isa, apoiada! É difícil ver alguém com conteúdo verdadeiro na academia. O que existe mesmo é "pavonice", como vc falou.

Mas nosso papel é gritar e não baixar a cabeça pra essas coisas, como vc fez!

Um abraço, amiga! (saudade!)